Adesão a planos odontológicos cresce no primeiro semestre de 2017

adesão de planos odontológicos cresce no Brasil

Na contramão de planos médico-hospitalares, benefício odontológico passa a ser mais solicitado individualmente e em empresas

Os planos odontológicos têm ganhado cada vez mais espaço no mercado brasileiro. Levantamento do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) aponta que o total de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos cresceu no primeiro semestre de 2017. De janeiro a junho desse ano, foram firmados 850,1 mil novos vínculos com planos odontológicos, uma alta de 3,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Atualmente os usuários somam mais de 22 milhões de beneficiários.

O dado contrapõe a queda de 0,6% no total de beneficiários em planos médico-hospitalares. O que significa um rompimento de mais de 270 mil vínculos esse ano, segundo o IESS.

Apesar do crescente número de adeptos ao plano odontológico, o Instituto ressalta que muitas pessoas ainda desconhecem o serviço e por isso ficam em dúvida se o investimento vale a pena. “O plano de saúde ainda é considerado prioridade para a maioria dos brasileiros, enquanto o odontológico não é visto como fundamental. Fazer um trabalho de conscientização entre os beneficiários sobre a importância da saúde bucal é o primeiro passo para que esse quadro se reverta”, explica Neusa Pellizzer, gerente de Promoção à Saúde da ABET – Associação Brasileira de Trabalhadores em Telecomunicações.

Credenciado há 25 anos na rede de convênio do Odonto ABET (plano exclusivamente odontológico da Associação), o periodontista e implantodontista Dr. Wilson Thadeu Canaan, reforça a importância da adesão a planos odontológicos que oferecem serviços completos. “Recomendamos que o paciente faça manutenção a cada 6 meses para que receba as melhores instruções de higienização e cuidados gerais da saúde bucal. Por isso, é importante manter planos odontológicos com profissionais especializados que podem ser ativados em situações de emergência e de prevenção”, explica Dr. Wilson Canaan.

O administrador Luiz Claudio dos Santos, 66, é beneficiário do plano odontológico da ABET e destaca a necessidade de manter os serviços para contar com os trabalhos de prevenção. “É importante fazermos o uso adequado do plano para evitar futuras complicações. Prevenir sempre será a melhor solução e só conseguimos indo regularmente ao dentista”, completa.

Saúde e qualidade de vida para o empregado

A relevância do plano odontológico é a mesma quando direcionamos para o segmento empresarial. O benefício tende a ser valorizado pelas empresas para atração e retenção de talentos e ainda possui baixo impacto na folha de pagamento. “Os serviços vão além de sorrisos saudáveis para os funcionários e do bem-estar no trabalho. Os planos proporcionam acesso a bons tratamentos que favorecerem a prevenção de problemas mais graves”, completa Neusa Pellizzer.

Com ampla rede em 14 estados, incluindo São Paulo, o Plano Odontológico ABET oferece às empresas um investimento com custo administrável. Ao definir o perfil do serviço, a companhia tem um produto na medida certa para o seu grupo de colaboradores.

Para estender o benefício aos familiares, o colaborador pode aderir ao Plano Odontológico ABET Coletivo por Adesão. “Ao se tornar associado ABET, o empregado tem direito a preços diferenciados por faixa etária, coberturas e rede de prestadores de serviços destinados aos familiares até o 4º grau de parentesco consanguíneo e até o 2º grau por afinidade”, explica a gerente de Promoção à Saúde da ABET.