Febraban Tech 2014 discute saúde financeira do brasileiro

De acordo com a pesquisa Saúde Financeira do Brasileiro 2023, da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), 50% dos entrevistados atravessam algum tipo de aperto financeiro; 74% têm orçamento justo, isto é, empatam ou gastam mais do que ganham; 43% admitem que têm alguma ou muita dificuldade para pagar as contas, e apenas 46% afirmam saber como se controlar para não gastar muito. Ainda segundo o levantamento, 28% revelam que os compromissos financeiros são motivo de estresse nas casas e 68% não têm segurança sobre o próprio futuro financeiro.

Embora o resultado seja melhor do que o registrado nas duas edições anteriores, a necessidade de avanço na área é inquestionável e, por isso, será debatida no Summit de Saúde Financeira, no Febraban Tech 2024 – maior evento de tecnologia e inovação do setor financeiro, de 25 a 27 de junho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo – como parte da trilha “ESG direciona sociedade inclusiva, diversa e sustentável”.

No segundo dia do evento (26/6), das 13h às 14h20, o painel “Estratégias adotadas pelas instituições financeiras na promoção de ações de educação financeira” apresentará boas práticas, destacando a importância de ser falar com qualquer público-alvo. Com moderação de Amaury Oliva, diretor de Sustentabilidade, Cidadania Financeira, Relações com o Consumidor e Autorregulação da Febraban, o painel terá a participação de Emanuelle Moraes, gerente de Cidadania e Sustentabilidade do Sicoob; Gisele Morgado, gerente de Operações e Canais Digitais do BNDES; Rodrigo de Araújo Soares Pereira, superintendente de Produtos e Estratégia da Ágora Investimentos – Bradesco, e Gustavo Korb, gerente de Soluções do Banco do Brasil.

Das 15h às 16h10, será a vez de Fabio Araújo, auditor do Departamento de Promoção de Cidadania Financeira do Banco Central Brasil; Louize Pereira Oliveira, supervisora de Cidadania e Sustentabilidade no Instituto Sicoob; Cristiane Amaral, gerente de Inclusão e Educação Financeira da Fundação Sicredi; Paulo Coelho Mendes, analista-chefe do I-SFB; e Amália Sangueza, diretora-adjunta do Comitê ESG da Febraban, que será a moderadora, para debaterem os “Desafios e caminhos na mensuração e monitoramento da efetividade das iniciativas de educação financeira e do impacto na saúde financeira do consumidor”.

O último painel do dia, “Medidas de Inclusão Financeira para perfis específicos (vulneráveis, refugiados, migrantes, microempreendedores, mulheres, indígenas e rurais)”, das 16h50 e 18h10, reunirá Juliana de Paula, diretora de Responsabilidade Social do BTG Pactual; Anderson Aorivan da Cunha Possa, diretor Nacional de Negócios do Banco do Nordeste; Osvaldo Luiz Nogueira da Silva, gerente de Educação Corporativa do Bradesco; e o moderador do painel, Uelton Carvalho, gerente de Cidadania Financeira da Febraban.

De acordo com especialistas, as ações ligadas à agenda ESG devem permear cada vez mais as relações com o cliente quando o assunto é a melhoria da educação financeira dos brasileiros. Criado em 2021, numa iniciativa conjunta da Febraban e Banco Central, o Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB) tem por propósito ajudar os cidadãos a equilibrarem suas contas. A ferramenta permite que a pessoa obtenha um diagnóstico da situação, compare o seu índice com a média nacional e identifique vulnerabilidades a serem trabalhadas por meio de educação financeira.