IRB Brasil RE investe em programa de inovação

Home \ Geral \ IRB Brasil RE investe em programa de inovação
IRB Brasil RE investe em programa de inovação

A partir do dia 18, estudantes de graduação e profissionais do IRB Brasil RE e da Mongeral Aegon vão se reunir diariamente na PUC-Rio em busca de soluções inovadoras para o mercado de seguros e resseguros. É a segunda edição do Insurtech Innovation Program, que estimula o desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos baseados em tendências tecnológicas como blockchain, ciência de dados, machine learning, internet das coisas e realidades virtual e aumentada.

Os 20 estudantes selecionados para a nova edição foram conhecidos no dia 4 deste mês, quando o processo seletivo foi finalizado. A lista traduz a proposta multidisciplinar do programa com alunos de 14 diferentes cursos, como Engenharia, Comunicação Social, Economia, Design e Direito, da PUC-Rio, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) e Universidade Federal de Alfenas (Unifal).

Leia também

Atletas da base do Flamengo tinham seguro de vida?

Jorge Nasser assume a presidência da FenaPrevi para o triênio 2019-2021

Nova gestão da FenaSaúde assume mandato para o triênio 2019-2021

“O Insurtech é disruptivo e agrega valor a um mercado extremamente tradicional. Temos um padrão vencedor e de longa data, mas chegamos em um momento na nossa economia que é preciso inovar. Nesse sentido, o programa contribui com ideias, modelos e discussões para pensarmos em como fazer mais e melhor”, destaca o diretor de TI do IRB, Marcelo Hirata.

O programa, que é uma parceria com a Mongeral Aegon e a PUC-Rio, envolveu 28 estudantes e 11 profissionais em 2018. Ao todo, 20 propostas de soluções foram estruturadas e seis delas selecionadas para desenvolvimento. Os projetos, que devem ser implantados pelas empresas em 2019, usam tecnologias como mobile, inteligência artificial, blockchain e realidade aumentada para resolver problemas comuns ao mercado, como gestão da carteira de segurados e compartilhamento de dados para avaliar melhor os riscos de um contrato.