Seguro para celular: até onde vale a pena contratar?

Seguro para celular até onde vale a pena contratar

Pesquisa aponta crescimento no seguro para celular em 2017. Porém, alto custo de aparelhos no Brasil chama atenção

Já não é novidade que a população brasileira adora celular. Não é a toa que neste país o número de habitantes é menor do que o de linhas operantes. O público é dividido em certas categorias. Alguns preferem um modelo de smartphone mais básico, outros, por exigirem mais do aparelho, optam por comprar os que oferecem mais recursos. E é esse último grupo de pessoas que ganha a preferência dos fabricantes.

Os celulares de última geração chegam ao mercado brasileiro com preços altos. O modelo de entrada do iPhone 8, por exemplo, custa, nas lojas mais populares do Brasil, cerca de R$ 3.600,00. Já o mesmo modelo, porém com mais recursos, está por volta de R$ 4.600,00. Os aparelhos concorrentes também não fogem muito de um preço elevado, haja vista que o último lançamento da Samsung é comercializado no mercado por, em média, R$ 4.000,00.

Por conta do alto valor investido no produto, os usuários se preocupam com a segurança. Nessas situações, o mais viável é fazer um seguro para o aparelho. Mas compensa contratar essa proteção?

Como o seguro funciona:

Além do valor do seguro para celular ser calculado com base no preço do smartphone, fatores como idade e região onde a pessoa mora são levados em conta no momento da cotação.

A cobertura disponibiliza proteção contra furto, roubo, acidentes domésticos e dano material.

Todas as operadoras oferecem proteção a aparelhos de celular, em parceria com seguradoras, no entanto, os preços e coberturas são diferentes. Ao contratar o serviço de seguradoras tradicionais como Zurich, Porto e Mapfre, o valor pode chegar a 30%.

É preciso ter em mente que caso ocorra o sinistro, o segurado precisará pagar uma franquia que pode chegar até 20% do preço do aparelho.

Vale a pena contratar um seguro para celular?

Pegando como exemplo a geração 8 do modelo de entrada do iPhone, em caso de roubo ou furto, o dono teria que pagar R$ 720,00, que é a somatória dos 20% da franquia. Isso sem contar as despesas que ele terá, pagando de R$ 60,00 a R$ 80,00 / mês pelo seguro.

Um dos benefícios que pode ser levando em consideração é o de assistência técnica. Caso o celular fique com defeito ou danificado, o usuário pode usar a proteção para arcar com as despesas. No entanto, isso vai de cada seguradora. Por isso, é importante verificar se existe a cobertura na apólice.

Saber se vale a pena ou não vai de cada pessoa. A vantagem é que os aparelhos novos vão perdendo valor no mercado. Então, em caso de sinistro, o segurado será ressarcido com o valor que ele pagou no produto, ou seja, mais do que o preço atual.

Redação