Retomada da atividade econômica impulsiona negócios na área de seguros de transportes de cargas

Transporte

O Brasil começa aos poucos dar sinais de que a crise econômica realmente ficou no passado. Depois da divulgação do crescimento de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano, agora outros indicadores parecem confirmar essa retomada.

O Porto de Santos, por exemplo, o maior da América Latina, registrou recorde de movimentação de cargas e contêineres nos primeiros quatro meses desse ano. Ao todo, foram 38,60 milhões de toneladas, quase 3% acima do recorde anterior, alcançado justamente no mesmo período de 2016.

Esse aumento na movimentação de cargas também foi percebido pela Argo Seguros, seguradora especializada em transportes. “Verificamos que vários dos nossos clientes estão averbando mais viagens  em comparação aos meses  anteriores. Isso significa que existe evolução nítida no volume de carga transportada”, revela Ivor Moreno, gerente de Transportes.

Ivor Moreno, gerente de Transportes

Ivor Moreno, gerente de Transportes

De acordo com o executivo, a movimentação de carga tem crescido em torno de 10% neste ano, se comprado a igual período de 2016. “No ano passado não havia uma mobilização das transportadoras como essa de agora. Se continuarmos nesse ritmo, devemos crescer ainda mais até o final do ano”, avalia o executivo.

Outro fator que contribuiu para impulsionar os negócios é o aumento da criminalidade. A sensação de insegurança, principalmente em regiões onde o poder público enfrenta dificuldades financeiras mais evidentes, acaba por motivar a contratação de mais seguros pelas empresas transportadoras.

“Claro que esse sentimento de insegurança contribui para aumentar o volume de negócios, mas por outro lado também é importante lembrar que a sinistralidade afeta, e muito, a nossa rentabilidade”, lembra Ivor. Segundo ele, o mercado ainda não adotou uma correção nos valores por conta da sinistralidade.